A biodiversidade e o potencial de utilização de seus recursos como forma de promover o desenvolvimento econômico e tecnológico: o caso da Amazônia.

O propósito desta dissertação é abordar a questão da biodiversidade no Brasil, em especial na região amazônica e debater as ações que têm sido realizadas, a fim de promover o desenvolvimento econômico e tecnológico na Amazônia.

O Brasil é detentor da maior diversidade biológica do mundo, seja de espécies de fauna, flora ou microorganismos. São sete os biomas presentes no país: Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga, Zonas Costeiras, Pantanal e Campos Sulinos.

A Amazônia é a região onde se encontra a maior diversidade de espécies do país (estima-se que cerca de 50% das espécies existentes no planeta são encontradas na região). Seu potencial econômico concentra-se em: minerais; madeiras; flora; agropecuária; biodiversidade; e fonte de matérias-primas farmacêuticas.

A região amazônica há muitos anos é objeto de interesse para exploradores estrangeiros, que a vêem como fonte de matérias-primas para produtos de grande utilidade nas indústrias química e farmacêutica, entre outras.

O foco central desse estudo é a utilização de matérias-primas amazônicas na indústria química, farmacêutica e cosmética, entre outras; e a utilização de processos biotecnológicos para o desenvolvimento de produtos de maior valor agregado.

A indústria de biotecnologia encontra, nos recursos da floresta amazônica, um enorme potencial para o desenvolvimento desses produtos, de forma que estes consigam entrar e permanecer em um mercado competitivo.

Também são debatidas a questão do desenvolvimento sustentável e a importância de uma exploração controlada, utilizando tecnologia apropriada e eficiência operacional como forma de preservar a floresta e seus bens e serviços.

×