Desenvolvimento de bioseticida bacteriano específico ao vetor da filariose.

Este trabalho teve como objetivo o desenvolvimento de um bioinseticida bacteriano, específico ao vetor da Filariose, doença integrada nas metas do Ministério da Saúde como uma das mais prioritárias junto à Malária que fosse capaz de ser utilizado nas campanhas públicas de erradicação desta doença, em particular no Estado mais endêmico do país, Pernambuco.

Através de estudos iniciais foi possível a eleição de uma cepa bacteriana autóctone de Bacillus sphaericus a qual demonstrou ser grande produtora de esporos e cristais proteicos entomotóxicos.

Com a utilização de resíduos industriais, ricos em micronutrientes essenciais ao processo de esporogênese, foram obtidas biomassas, através da otimização de algumas variáveis do processo de fermentação.

Parâmetros tais como a taxa de oxigênio dissolvido, o grau de aeração, a agitação, a potência da cepa e a eficácia da biomassa foram ajustados e determinados de modo a aumentar a produtividade do processo. À baixas concentrações das fontes nutricionais alternativas foi possível obter grandes valores de conversão de resíduos industriais, principalmente, em biomassa entomopatogênica.

As concentrações adequadas dos resíduos ficaram na faixa de 1,0% à 1,5% onde foi possível obter uma população média de 2,3 x 1011 u.f.c. / ml no período de 22h com uma capacidade esporogênica de 90% em média. Portanto, o tempo do processo foi reduzido, a capacidade esporogênica aumentou e o custo do meio de fermentação diminuiu. Perante estes resultados foram efetuados os testes de bioensaios onde buscou-se a eficácia da biomassa a qual mostrou-se entomotóxica o suficiente para ser transformada em produto, através de uma LC 50 de 0,023 mg/L comparando-se à outros produtos comerciais como Spherimus, de origem dinarmaquesa, que apresentou LC 50 de 0,120 mg/l.

Devido ao sucesso dos testes acima mencionados, este fermentado será utilizado na produção de bioinseticida para as campanhas de saúde Pública, referentes ao controle do vetor da filariose no Estado de Pernambuco. Quanto ao custo final deste, estimou-se um valor de U$ 11,00 / l através de estudos comparativos de mercado elaborados pelo Departamento Financeiro da Unidade Far-Manguinhos / Fiocruz - RJ onde outros valores estiveram na faixa de U$ 22,00 à U$ 35,00 / l.

×