Otimização da bioconversão de D-xilose em xilitol por Candida guilliermondii IM/UFRJ 50088 em biorreator

O xilitol é um adoçante dotado de propriedades edulcorantes similares às da sacarose, mas com um conteúdo calórico menor; possui diversas propriedades físico-químicas que lhe conferem uma grande vantagem sobre os outros adoçantes. Apesar dessas vantagens, seu uso é atualmente limitado pelos altos custos de produção.

Essa substância pode ser encontrada em diferentes frutas e vegetais em concentrações baixas. A produção industrial é realizada por hidrogenação catalítica de uma solução de açúcares resultante da hidrólise de material lignocelulósico, sob condições de alta temperatura e pressão. Entretanto, a biotecnologia fornece um processo alternativo, na qual o xilitol pode ser produzido a partir de microorganismos com maior especificidade e uma menor demanda de energia, quando comparada à rota química. Esta bioconversão se dá através de uma sequência de reações enzimáticas de oxido-redução.

Neste trabalho, foi utilizada a levedura Candida guilliermondii IM/UFRJ 50088 para a produção de xilitol, a partir de Dxilose. O objetivo foi estudar o comportamento da levedura frente à mudança de variáveis importantes como o KLa (entre 18 h-1 e 40 h-1) e a concentração inicial de biomassa (entre 4 g e 10 g). Para isso foi desenvolvido um planejamento composto central. Finalmente, foram definidas condições ótimas para as duas variáveis (KLa=32,85 h-1 e X0=9,86 g ) nas quais se alcançou um valor máximo de produtividade (1,628 g/h) e rendimento em xilitol (0,708 g/g).

×