UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro Ladebio

LADEBIO

Laboratórios de Desenvolvimento de
Bioprocessos da Escola de Química da UFRJ

SInProBio, LaProEnz, LabEngBio, LabSIm e Central Analítica
Desde 14/12/2009
Estatísticas 181951 visitas.
W3C XHTML 1.0

Produção Científica: Dissertações de Mestrado

Engenharia de um Bioprocesso para a Produção de Etanol de Bagaço de Cana-de-Açúcar

Autor: Luiz André Felizardo Silva Schilittler
Data da Defesa: 2006
Orientadores: Nei Pereira Jr., PhD e Carlos Augusto Guimarães Perlingeiro, PhD
Programa: TPQB - Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ

Resumo

O etanol é considerado um dos mais importantes combustíveis renováveis, devido aos seus benefícios econômicos e ambientais.

O bagaço da cana-de-açúcar é uma das fontes mais promissoras para a produção do etanol, principalmente no Brasil, onde este sempre representou um problema ambiental, apesar do seu reaproveitamento. A geração deste resíduo sólido tende a aumentar devido ao renovado interesse pelo bioetanol.

Neste trabalho, um processo de produção foi desenvolvido utilizando-se o modelo das duas correntes, sob uma concepção industrial brasileira, conhecida como unidades anexas. Adotou-se, neste modelo, o pré-tratamento com ácido diluído e a tecnologia de sacarificação e fermentação simultâneas, e com dados obtidos em escala de bancada o fluxograma foi simulado pelo programa Super Pro Designer.

Tomando-se como base mássica 1.000 ton de bagaço por dia, e com algumas considerações, o processo foi capaz de produzir 162.132 L de etanol anidro com um consumo de 39,93 MJ / L EtOH.

A agregação de valor de alguns subprodutos desta tecnologia, como a lignina, com alto calor de combustão, pode diminuir esse input energético em pelo menos 23,52 MJ / L EtOH. Uma avaliação econômica revelou que o custo de produção é de U$1,16/L, sendo considerado como não viável.

Entretanto, após considerar este contexto juntamente com o conceito de Biorrefinaria, o etanol produzido tornou-se viável e competitivo, comparando-se com o etanol de caldo da cana. Seu custo de produção passou a ser, com algumas considerações, U$0,23 após depreciação.

LADEBIO - Laboratório de Desenvolvimento de Bioprocessos da Escola de Química da UFRJ