UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro Ladebio

LADEBIO

Laboratórios de Desenvolvimento de
Bioprocessos da Escola de Química da UFRJ

SInProBio, LaProEnz, LabEngBio, LabSIm e Central Analítica
Desde 14/12/2009
Estatísticas 175589 visitas.
W3C XHTML 1.0

Produção Científica: Dissertações de Mestrado

Desenvolvimento de Bioinseticida Bacteriano específico ao Vetor da Filariose

Autora: Elizabeth Gomes Sanches
Ano da Defesa: 2000
Orientadores: Nei Pereira Jr., PhD e André Luiz Gemal, DSc
Programa: TPQB - Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Download: PDF (PDF: 62 KB)

Resumo

Este trabalho teve como objetivo o desenvolvimento de um bioinseticida bacteriano, específico ao vetor da Filariose, doença integrada nas metas do Ministério da Saúde como uma das mais prioritárias junto à Malária que fosse capaz de ser utilizado nas campanhas públicas de erradicação desta doença, em particular no Estado mais endêmico do país, Pernambuco.

Através de estudos iniciais foi possível a eleição de uma cepa bacteriana autóctone de Bacillus sphaericus a qual demonstrou ser grande produtora de esporos e cristais proteicos entomotóxicos.

Com a utilização de resíduos industriais, ricos em micronutrientes essenciais ao processo de esporogênese, foram obtidas biomassas, através da otimização algumas variáveis do processo de fermentação. Parâmetros tais como a taxa de oxigênio dissolvido, o grau de aeração, a agitação, a potência da cepa e a eficácia da biomassa foram ajustados e determinados de modo a aumentar a produtividade do processo.

À baixas concentrações das fontes nutricionais alternativas foi possível obter grandes valores de conversão de resíduos industriais, principalmente, em biomassa entomopatogênica. As concentrações adequadas dos resíduos ficaram na faixa de 1,0% à 1,5% onde foi possível obter uma população média de 2,.3 x 1011 u.f.c./ml no período de 22h com uma capacidade esporogênica de 90% em média. Portanto, o tempo do processo foi reduzido, a capacidade esporogênica aumentou e o custo do meio de fermentação diminuiu.

Perante estes resultados foram efetuados os testes de bioensaios onde buscou-se a eficácia da biomassa a qual mostrou-se entomotóxica o suficiente para ser transformada em produto, através de uma LC 50 de 0,023 mg/L comparando-se à outros produtos comerciais como Spherimus, de origem dinarmaquesa, que apresentou LC 50 de 0,120 mg/l.

Devido ao sucesso dos testes acima mencionados, este fermentado será utilizado na produção de bioinseticida para as campanhas de saúde Pública, referentes o controle do vetor da filariose no Estado de Pernambuco. Quanto ao custo final deste, estimou-se um valor de U$ 11,00 / l através de estudos comparativos de mercado elaborados pelo Departamento Financeiro da Unidade Far-Manguinhos / Fiocruz - RJ onde outros valores estiveram na faixa de U$ 22,00 à U$ 35,00 / l.

LADEBIO - Laboratório de Desenvolvimento de Bioprocessos da Escola de Química da UFRJ